Vivemos em uma sociedade aonde aprendemos que nos colocar em primeiro lugar é egoísmo. E muitas vezes damos mais ao outro do que a nós mesmas. Aprendemos também que devemos amar incondicionalmente sem esperar nada em troca. A questão é: estamos prontas para amar dessa forma? Até que ponto não nos sujeitamos a sofrer abusos com a crença de que devemos amar sem esperar nada do outro, dando o nosso máximo?

Quando amamos, parte de nós também quer ser amada de volta. Esperar retribuição do que damos não é errado. Mas antes de amar e esperar amor do outro, é preciso dedicar amor maior para a pessoa mais importante do mundo: VOCÊ. Esta é a sua principal responsabilidade.

Só podemos dar genuinamente ao outro o que nos transborda. Quanto mais nos amamos, mais nos aproximamos da possibilidade de amar incondicionalmente, sem corrermos o risco de sermos sugadas em nossa ânsia (muitas vezes inconsciente) de sermos amadas ou de exigirmos do outro o amor que não temos por nós mesmas.

É comum dar ou exigir receber demais na esperança de que o outro preencha nossos buracos. Mas preencher os buracos pessoais é sua responsabilidade. E de ninguém mais. O equilíbrio nas relações está em entender que DAR não é mais nobre do que RECEBER.

E muitas vezes não recebemos porque inconscientemente acreditamos não ser merecedoras, acreditamos não precisar, já que somos autossuficientes ou porque nos limitamos a uma única possibilidade que nos impede de enxergar além. As possibilidades de sistemas de crenças que nos impedem de viver em plenitude, seja na área profissional, afetiva, familiar ou financeira são infinitas.

Como trabalhar o amor próprio?

Para começar, precisamos entender que somos responsáveis pelas situações que atraímos. Por mais que o outro tenha responsabilidade sobre as atitudes em relação a você, é importante entender qual é a sua participação na atração dessa situação.

Diferentes literaturas científicas apontam que acessamos em torno de apenas 10% do nosso inconsciente. É como se, em uma conversa, não tivéssemos conhecimento de 90% da informação que emitimos ao outro. Da mesma forma que este processo é inconsciente para nós, ele é inconsciente para as pessoas que nos rodeiam.

Se inconscientemente você acredita que não merece ser valorizada, você vai atrair para a sua vida pessoas que não vão te valorizar, até que decida colocar um ponto final neste ciclo repetitivo. Perguntar-se “ Como ter amor próprio ” já é um começo.

Processo terapêutico sobre como ter amor próprio

O AMOR INCONDICIONAL POR NÓS MESMAS é um processo que pode ser trabalhado com técnicas de acesso ao INCONSCIENTE como Alinhamento Energético, Fototerapia e Meditação Guiada com Reiki e Arquétipos Femininos. No Espaço Amora trabalhamos com técnicas terapêuticas integrativas reconhecidas pelo SUS.

Em nosso site temos depoimentos em vídeo de algumas de nossas clientes. Muitas delas são psicólogas e terapeutas que entendem uma premissa básica: PARA CUIDAR DO OUTRO, É PRECISO ANTES CUIDAR DE SI MESMA.

Você cuida de si mesma, antes de cuidar do outro? Você se olha como deveria?

Aprenda a dar o amor que por você mesma te sobra e receber do outro o amor que te transborda. Descobrir como ter amor próprio é uma linda jornada, quando nos permitimos.

Para mais informações, envie uma mensagem em nosso link Contato ou para o WhatsApp (21) 98101-2828. O atendimento é realizado pela nossa terapeuta Cláudia Fonseca, em Copacabana.

Psicóloga Magda Baeta conta experiência com Fototerapia e Alinhamento Energético no Espaço Amora

Leia mais:
O que é a Fototerapia?
O que é Alinhamento Energético?
O que é Reiki?
Psicólogas em terapia

Recommended Posts