FOTOTERAPIA

Ricardo Collier | Mago

à angústia que me guia 
por caminhos obscuros
e me faz desajustado, 
tímido, pergunto:

“o que faço aqui?

perdido em trevas não me encontro
nem consigo me enxergar 
não me encaixo nesse mundo
não percebo o meu lugar”

e ouço ela falar:

“há uma luz, indica a vida
vem de longe, junto à morte
ela carrega seu desejo
então se entregue à própria sorte

de quem aceita renascimento
sem enxergar o que rodeia
mergulhado em velhas culpas
eternos medos 
nesse passado que te bloqueia”

peço à luz que venha à tona
ressignificando marcas antigas
mas se olho para fora 
e nada encontro
a percebo vir de dentro
dissipando minhas feridas

busco aceitar a possibilidade de ser
luz e trevas, eu
um só.
a escuridão 
para quem aprender a ver
pode ser luz a cegar inexperientes olhos

e começo a aprender o que tenho a oferecer quando caminho em minhas sombras, ao encontro de mim mesmo.