Segundo algumas linhas da psicoterapia, incluindo a analítica junguiana, trocamos energia no simples pensar. E o quanto isso nos afeta depende do quanto damos brechas, consciente ou inconscientemente, para isso. Na relação direta, a recepção de outra energia psíquica tende a ser mais intensa, principalmente durante o sexo.

O problema em abordar esse tópico é que muitas pessoas começam a evitar relações sexuais por medo de serem “contaminadas” pelas dores outro. Já entrei em discussões com espiritualistas que simplesmente dizem “fazer sexo com qualquer um faz mal” e induzem à famosa repressão dos impulsos sexuais. E como já dizia o titio Freud, o que reprimimos de um lado, constela do outro.

Precisamos lembrar que não somos alecrins dourados que serão apenas contagiados por outra energia. Todo mundo tem bagagem, inclusive você. Se a consciência de que a relação sexual permite o contato com todas as cargas da outra pessoa, faz com que você se conecte apenas com a possibilidade de se tornar um despejo de energias desqualificadas, talvez esteja na hora de rever a sua relação não só com o sexo, mas com o seu posicionar no mundo.

Acredito que a troca possa fazer mal quando fazemos sexo sem responsabilidade. Mas esqueçam o moralismo de que essa troca só é responsável se for feita com o “amor de sua vida”. Fazer sexo com a tal alma gêmea sem estar com vontade, apenas para agradar o/a parceiro/a, também é, ao meu ver, uma forma de relação não apropriada com o seu corpo. Para mim, não importa se você pretende se conectar por um único dia ou para a vida inteira. Mas sim, a entrega no ato.

Parafraseando o filósofo Jean-Yves Leloup: “Quando você toca alguém, nunca toque só um corpo. Lembre-se de que você toca um Sopro, que é o sopro de uma pessoa com seus entraves e dificuldades e, também, é o grande Sopro do universo. Quando você toca um corpo, lembre-se de que você toca um templo”.

Quando temos essa consciência, o sexo, não importa como, com quem, ou até com quantos, pode ser mágico. O que não te impede de, vez por outra, realizar técnicas terapêuticas de limpeza das memórias de pessoas com quem você já se relacionou e se abrigam em você.

E vamos gozar, que além de ser uma delícia, faz bem ❤️

Foto: Processo Terapêutico Amor.a Fototerapia realizado em nosso estúdio fotográfico, pela fotógrafa e terapeuta @claudia.sousafonseca

Como trabalhar a sua energia sexual?

No Espaço Amora, em Copacabana, realizamos sessões terapêuticas de acesso, acolhimentos e ressignificação de conteúdos psicoemocionais, muitos inconscientes, que permitem o transmutar a nossa forma de sentir nossa energia sexual. Os atendimentos realizados pela terapeuta @claudia.sousafonseca também podem ser online, por vídeo chamada.

Agendamentos pelo WhatsApp (21) 98101-2828.

Atendimentos terapêuticos no Espaço Amora
Alinhamento Energético Fogo Sagrado na cura de padrões
Retratoterapia: registro e cura de imagens inconscientes
Aplicação de Reiki
Rapé medicinal
Poesia e terapia

Recommended Posts